(11) 5667-7733 / 11 94762-7722

Definição Equoterapia

 

É um método terapêutico que utiliza o cavalo, este apresenta movimento tridimensional (para frente/ trás; para cima/baixo; para os lados), que é 95% semelhante ao andar do homem, isso faz dele uma máquina terapêutica.
O cavalo envia informações sensoriais ao praticante, que por sua vez busca respostas apropriadas a estes estímulos, em virtude disso, ocorre melhora nas funções neurológicas e no processamento sensorial.
O movimento tridimensional é rítmico, repetitivo e variável.
A variedade de movimentos do cavalo, permite ao terapeuta adequar cada praticante de acordo com sua necessidade (informações sensoriais), junto com sua terapia, o que permite alcançar um objetivo comum.
Para entender melhor esse processo, é necessário saber que a cada passo do cavalo, o centro de gravidade do praticante é deslocado da linha média, estimulando assim, as reações de equilíbrio, que proporcionam a restauração do centro de gravidade dentro de sua base de sustentação. Nesse momento, o sistema vestibular á acionado, estimulando suas conexões entre os canais semi-circulares, onde as células ciliadas captam a movimentação da endolinfa provocada pelos movimentos da cabeça com o cerebelo, córtex cerebral, medula espinhal, nervos periféricos tanto no sentido ascendente quanto descendente. (Tatiana Lermontov, 2004).
Dentro da coluna vertebral está a medula espinhal, que é a conexão de todo nosso corpo com SNC. A chave do movimento tridimensional
está na cintura pélvica do praticante. O cavalo ao deslocar-se ao passo gera oscilações, que são transmitidas pela coluna vertebral até o SNC, em 30 minutos temos de 180 a 220 oscilações.
Sabemos que as informações chegam ao cérebro de forma pulverizada – em várias regiões ao mesmo tempo, chegam ao cérebro através dos imputs cerebrais e essas informações “marcam” redes neuronais. Essas “marcas” são feitas por sinapses, que são trocas de substâncias químicas, elétricas entre células nervosas que são denominadas neurônios. As sinapses ocorrem porque há um estímulo que a desencadeia, os neurônios estimulados e utilizados, fixam-se como instrumento do pensamento durante um período crítico, com isso, fazem novas conexões para outras informações sejam armazenadas.
Essas conexões formadas podem levar a uma mudança na arquitetura cerebral, o que causa uma série de novos ajustes, dando-se, assim, o desenvolvimento do cérebro. Os neurônios aumentam ou diminuem sua atividade, de acordo com a excitação ou inibição de impulsos elétricos com outros neurônios a eles conectados. (CIELO, 1998).
Ao montarmos no cavalo, o cérebro está em plena atividade, em alerta, permitindo que ocorram ajustes posturais, de fala, de respiração, dentre outros, onde este praticante está sempre em alerta, aumentando seu estado de vigília, melhorando a atenção (base do aprendizado), chegando enfim, a concentração que é onde realmente ocorre o aprendizado.

Em 09/04/1997, ocorreu o reconhecimento da Equoterapia pelo Conselho Federal de Medicina- Parecer nº 06/97 – como Método Terapêutico de Reabilitação Motora.